Um Batista visita a CCMJ e entrevista o Cooperador

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Um Batista visita a CCMJ e entrevista o Cooperador

Mensagem por Josafá Agra em Qua 17 Abr 2013, 18:41

Após o culto o cooperador concedeu a mim e permitiu que eu gravasse o áudio da entrevista a seguir:

BM: Como surgiu a CCB – Ministério Jandira aqui em Piracicaba?
Cooperador: Ela surgiu há 4 meses atrás, eu morava em São Paulo, ainda congregava com na CCB na comum congregação do Brás e viajava bastante em missão da Obra de Deus, na obra da piedade, construindo igrejas no norte de Minas Gerais, independente de distancia onde tinha necessidade lá nós estávamos, quando nós viemos para Piracicaba eu e minha família ainda congregávamos na CCB-Brás sem nenhum problema, só que quando nós conhecemos o serviço da CCB-Jandira, que se diz Ministério Jandira para que haja diferenciação com a Congregação Cristã no Brasil com sede no Brás, nós passamos a congregar nos dois ministérios, a com sede do Brás e o Ministério Jandira, mas quando a irmandade começou a comentar sobre isso e nós fomos aconselhados a escolher entre pedir perdão a irmandade e nos humilhar por termos congregado com os irmãos do Ministério Jandira, ou então, congregar apenas com a CCB-Jandira. Conversando com um diácono amigo meu questionei sobre a índole dos fundadores da CCB-Jandira e qual era o pecado deles e o irmão sendo franco disse que de fato não tinha pecado, tudo começou com a ordenação não autorizada de anciões em Jandira. Eu e minha família optamos em ficar na CCB-Jandira.

BM: Quando você aderiu a CCB-Jandira você era membro ativo da CCB-Brás? Desempenhava algum ministério?
Cooperador: Eu congreguei pela primeira vez quando tinha 10 anos de idade, aos 14 anos fui para o seminário de padres, mas o bispo não respondeu algumas perguntas, dai visitei algumas igreja, masfiquei na CCB, me batizei em 1989. Quando comecei aqui na CCB-Jandira eu era membro ativo e com liberdade, eu era musico, mas por conta própria já havia deixado de tocar, pois, não sentia mais a vontade.

BM: Atualmente você mantém algum tipo de contato com integrantes do ministério da CCB-Bras?
Cooperador: Quando eles tomaram conhecimento de que eu e minha família também estávamos congregando na CCB-Jandira eles se afastaram de nós, houve muita calunia e nós achamos por bem não mais congregar na CCB-Bras, pois, nossa presença gerava incomodo e eles perdiam a concentração durante o culto porque ficavam prestando atenção em nós e e ficavam se comunhão.

BM: Como os ministros da CCB-Brás e a própria irmandade reagem em relação ao surgimento da CCB-Jandira?
Cooperador: Minha esposa e meus filhos tem sofrido bastante, eu nem tanto, pois, saio de madrugada para o serviço, volto a noite, sou de pouca conversa, ou seja, tenho pouco contato. Mas minha esposa sofre bastante, não tratam mais ela bem, algumas deixaram de responder a saudação dela, não são todas, mas a maioria faz isso.

BM: Como a CCB-Jandira se posiciona em relação às demais denominações evangélicas?
Cooperador: Nós pertencemos a CCB-Jandira, anualmente temos nossa Assembléia, também temos nossos costumes, mas se um irmão ou irmã de outra denominação sentir de testemunhar, pedir um hino eles tem a total liberdade, pois, se foi o Espírito Santo Deus que tocou temos e nós temos mais é que deixar o Espirito Santo agir na igreja.

BM: Ok, o que é a graça para vocês?
Cooperador: É Jesus Cristo.

BM: Por exemplo, o pessoal da Batista, da Presbiteriana... também fazem parte da Graça?
Cooperador: Tem uma parte em que Pedro repreendeu um homem que por ter expulsado demônios e falar em nome de Jesus sem andar com o Mestre, e Pedro chegou ao Senhor meio que contando vantagem dizendo “Ele está falando em teu nome e eu o repreendi”, o Senhor olhou para Pedro e disse: “Pedro, não faças tal, quem não é contra nós é por nós”. E nós não estamos aqui para anunciar a placa da igreja Congregação Cristã – Ministério Jandira, nós estamos aqui para anunciar Jesus Cristo, então, se Cristo, o cordeiro de Deus que deu sua vida na cruz disse que quem não é contra nós é por nós quem sou eu pra dizer que este ou aquele não vai entrar no céu? ... Eu me sinto bem aqui, servindo a Deus seguindo essa doutrina, agora a Batista, a Assembléia, a Presbiteriana, com todo respeito a todas, e eles estão servindo a Deus como se sentem melhor, por isso, iniciamos esta obra, muitos foram massacrados e chutados, alguns se adaptaram em outros lugares e tem muitos que não conseguem se adaptar em nenhuma outra igreja, ou seja, aqueles que realmente se arrependem e tem o desejo de continuar servindo a Deus e não sente a vontade noutra igreja eles podem voltar para os braços do Senhor e servir a Deus como estão acostumados.

BM: Mas eles também irão ao céu?
Cooperador: Com certeza, se não é contra nós não e é por nós não vai entrar no céu porque?

BM: O que é pecado de morte?
Cooperador: Pecado de morte é a blasfêmia contra o Espírito Santo, Deus deixou claro que aquele que blasfemar contra o Espírito Santo não tem perdão nem nesta vida e nem na vindoura.

BM: Por exemplo, uma pessoa que fornicou ou adulterou e se arrependeu do seu pecado, deixou de cometer o seu erro e se humilhou ao Senhor, esta pessoa se encontra num pecado de morte?
Cooperador: É como eu disse a pouco, a pessoa que passou por esse processo, Davi fez coisa pior que isso e o Senhor continuou a amar ele, e mesmo sendo falho fez de Davi uma pessoa sabia, foi ele que escreveu todo livro de Salmos.

BM: Então, não sendo a blasfêmia contra o Espírito Santo a pessoa se arrependendo e deixando de cometer o erro ela alcança o perdão?
Cooperador: É isso mesmo, eu não sei nem se eu vou entrar no céu, se eu for fiel vou entrar, agora se ele se arrependeu de verdade do coração e de alma e permanecer firme até o fim, aí é o Senhor que vai ver se ele vai entrar, porque nem eu sei se eu vou entrar, eu posso ficar aqui servindo a Deus a vida toda, naquele dia haverá grande surpresa, tem pessoas que acham que vão nos primeiros lugares e pode ser que nem entrem.

BM: Então, posso entender que o pecador é bem vindo na igreja e é Deus quem perdoa?
Cooperador: Nós todos, até eu mesmo o irmão está entendendo? ... Não estou dizendo que eles não têm direito, porque pela Palavra de Deus ele tem perdão, ele só não tem chance se blasfemar contra o Espírito Santo.

BM: Quais são os pontos doutrinários da CCB-Jandira?
Cooperador: Nós não somos outra igreja, nós estamos na mesma fé e na mesma doutrina, que é a doutrina deixada na terra por Jesus Cristo, que depois nosso irmão Luis Francescon que era de outra denominação usou para fundar a Congregação Cristã no Brasil, não mudou nada. A CCB do Brás ela é a obra de Deus, ninguém pode negar isso, nem podemos negar que Deus está lá por está, só que infelizmente por causa do orgulho do homem, do “Eu”, é que surgiu o Ministério Jandira, porque o Senhor disse: “ide e anunciai o evangelho quem crer e for batizando será salvo”, ele não disse pra irmos condenar ninguém.

BM: Em que aspectos a CCB-Jandira é igual a CCB-Brás e em que aspectos são diferentes?
Cooperador: Continua tudo igual em termos doutrinários, ministérios e administrativos, a única coisa que muda é que o filho pródigo sempre é bem vindo na casa do Pai e que aceitamos e acolhemos os irmãos de outras denominações como verdadeiros integrantes da família de Cristo.

BM: Atualmente quem são as pessoas que congregam na CCB-Jandira aqui em Piracicaba?
Cooperador: É misto, existem famílias que tinham plena liberdade na CCB-Brás e pessoas que eram da CCB e por algum motivo estavam paradas, também tem pessoas de outras denominações que nos visitam.

BM: Qual o numero de membros da CCB-Jandira aqui nesta cidade?
Cooperador: São cerca de 30 pessoas, fora as visitas.

BM: Qual ou quais instrumentos as mulheres podem tocar aqui na CCB-Jandira?
Cooperador: As irmãs estão liberadas para tocar todos os instrumentos, inclusive órgão, exatamente como é no exterior.

BM: Como é feita a santa ceia na CCB-Jandira? Vocês usam cálice único ou individual?
Cooperador: Fazemos a santa ceia com pão e com vinho, referente ao cálice isso varia de acordo com a região, aqui em Piracicaba provavelmente será cálice individual, quem decide é a própria irmandade.

BM: A CCB-Jandira mantêm estudo bíblico sistemático?
Cooperador: Não temos estudo bíblico, nós temos as Reuniões de Jovens e Menores no formato que você já conhece e nós procuramos fazer perguntas para as crianças e jovens responderem.

BM: Percebi que o irmão faz uma pregação abençoada e muito bem embasada na Bíblia, na CCB-Jandira os cooperadores recebem algum tipo de preparo bíblico ou orientação sobre o que e como pregar?
Cooperador: Não tem preparo, isto é na hora, Deus mostra pra gente e nós falamos aquilo que Deus põe no nosso coração e é a necessidade da igreja, nós não levamos embora porque senão nós mesmos é que pagamos por isso.

BM: Na CCB-Jandira há alguma reunião de ensinamentos?
Cooperador: Há reuniões a cada dois meses, inclusive, domingo que vem estaremos em São Paulo, mas é uma reunião regional. Temos uma Assembléia Anual, este ano foi no mês de março aqui em São Paulo. Como as despesas saem do nosso bolso, também fazemos estas reuniões no Piauí, no Paraguai e também na Itália onde cerca de 20 igrejas que estavam ligadas ao Brás se ligaram a CCB-Jandira.

BM: Como a CCB-Jandira se sustenta, há dizimo ou apoio financeiro do ministério central?
Cooperador: Não cobramos dizimo, as coletas são espontâneas, o ministério também não recebe salário, eu não dependo da igreja, eu tenho minha profissão, sou motorista e ajudo a igreja no que for preciso e está ao meu alcance.

BM: Como se dá o crescimento da CCB-Jandira?
Cooperador: Quando se iniciou a obra aqui eu cedi minha casa para os cultos de evangelização, daí Deus abençoou e nós abrimos esta igreja porque o povo está aumentando e a salinha no outro bairro já não comporta. Nós escolhemos o local, os anciães vem para olhar o lugar, ver se a irmandade vai ser bem acomodada e não está em prédio que ofereça riscos.

BM: Em relação a usos e costumes algo mudou?
Cooperador: Não mudou nada.

BM: Mas em relação aqueles que estão retornando a igreja ou são de outras denominações e não tem os mesmos costumes, como vocês procedem?
Cooperador: Se alguém não estiver de acordo com nossos costumes e sentir de testemunhar pode tranquilamente, pois, Deus não está interessado nas nossas roupas, mas no nosso coração, se Deus se importasse com a aparência Jesus teria nascido num berço de ouro e não seria filho de carpinteiro pobre, mas se alguém sentir o desejo de voltar para a CCB eles sabem os costumes que temos, eles tem condições de se adaptar novamente, isso não quer dizer que nós não vamos acolher, Deus não olha as roupas, ele quer olhar no coração da gente e enxergar sinceridade, mas nós iremos conversar no amor e carinho, porque se a pessoa está voltando é porque ela sente falta do costume que ela tinha, vai depender da própria pessoa, cada um tem que examinar a própria consciência.

BM: O uso do véu é opcional?
Cooperador: Não, o uso do véu é bíblico.

BM: Em relação a TV, a CCB-Jandira condena?
Cooperador: Se fosse para condenarmos a TV teríamos que condenar primeiro o computador que está bem pior, é como você pegar um instrumento, se você tocar um louvor vai escutar um louvor, mas se você tocar musica do mundo vai escutar musica do mundo, tudo depende de quem vai manusear ele. Eu tenho televisão em casa, para ser sincero eu não gosto e não perco tempo com ela, mas meus filhos gostam e eu prefiro ter em casa, pelo menos meus filhos estão dentro da minha casa e não dentro da casa do vizinho.

BM: No começo tudo é mais difícil, acredito que tem horas que o desanimo bate, como o irmão se sente em relação a tudo que está acontecendo?
Cooperador: Tem horas que o desanimo bate mesmo, quando a tristeza me chega eu volto lá atrás e vejo que sofreu muito mais Jesus e os apóstolos por causa da Obra de Deus. Hoje mesmo eu estava provado, mas chegou um senhor em frente a minha casa e bateu palmas, depois nos ele disse que estava com medo da nossa reação ao ser recebido, este homem chorou dentro da minha casa, porque ele congregou 40 anos, era encarregado de orquestra e por um problema deram ele como perdido e o condenaram, ele é sogro de ancião e ele nos procurou hoje, saiu de casa alegre e regozijando alegria, e a minha tristeza foi embora e meu coração se alegrou novamente. Hoje mesmo quando irmão perguntou que igreja era e quando eu respondi o irmão entrou e se sentou, você não imagina o quanto meu coração se alegrou. Se o irmão perguntar por aí, ninguém me conhece e é bom que seja assim, quem tem que aparecer é Jesus Cristo. Alegra-me muito ver estas almas perdidas voltarem pra casa do Senhor, ele mesmo disse pra deixarmos 99 ovelhas com saúde para buscar pela ovelha perdida e ferida pegar no ombro e trazer de volta. Não estamos aqui para tirar ninguém da CCB-Brás, tanto é que temos grande respeito e carinho por eles, e seguimos a mesma doutrina, só que nós achamos que não estamos aqui para condenar ninguém, quem condena e mata é o diabo, eu não posso condenar ninguém porque eu não sirvo o diabo, mas a Jesus Cristo, tenho que pregar o amor e a caridade.

BM: Você notou alguma mudança na CCB-Brás depois que surgiu a CCB-Jandira?
Cooperador: Eles mudaram um pouco, aqui mesmo, existem pessoas que estavam paradas há mais de 5 anos e não recebiam nenhuma visita, bastou nós visitarmos estas pessoas que eles foram visitar e chamar de volta para a igreja, mas louvado seja Deus por isso.

BM: Pessoas que vieram de outras denominações precisam se rebatizar?
Cooperador: Aqueles que são batizados na igreja católica precisam ser batizados, pois, não estão em conformidade com o que cremos, mas aqueles que vieram de outras denominações evangélicas e são batizadas por imersão em nome do Pai, do Filho e Espírito Santo e sentem comunhão com o seu batismo não tem necessidade de se batizarem novamente, porém, se quiserem ser batizadas porque não sentem comunhão com seu batismo anterior daí podem ser rebatizadas.

Minha impressão

As vezes é necessário dividir para multiplicar e é justamente isto que está acontecendo, da CCB-Brás surgiu a CCB-Jandira, considerando que a CCB-Jandira sai em busca da ovelha perdida e se mostra mais ativa em termos de consciência da necessidade de anunciar o evangelho a CCB que já era uma das maiores denominações do país pode ficar maior ainda.

Assim como a Reforma Protestante promovida por Martinho Lutero serviu para que a Igreja Católica se reestruturasse e se corrigisse nos pontos doutrinários que motivaram a Reforma, o surgimento da CCB-Jandira tem feito a centenária CCB se movimentar e se corrigir em alguns pontos doutrinários em que se equivocou nas ultimas décadas.

Não há nada de errado com a CCB, com certeza é uma igreja impar e abençoada, é muito bem organizada, tem um povo sincero e disposto a servir a Deus em espirito e verdade, um dos defeitos dela é a existência de uma doutrina oral paralela que com a conivência dos próprios anciães é propagada e suprimem a doutrina oficial, que é aquela constante na capa do hinário.

Já chegou aos meus ouvidos que em algumas localidades os anciães da centenária CCB, que tem sede no Brás, tem se preocupado mais com as ovelhas feridas do que com as ovelhas sadias e casos em que de cima do púlpito os anciães assumem que aqueles que estão em outras denominações realmente também servem a Deus e que os “pecadores” estão sendo chamados a voltar ao lar paternal e caso a caso está sendo analisado, inclusive, a liberdade está sendo restituída.

Saí da CCB-Jandira dando graças a Deus pelo seu surgimento, ela é uma igreja com propósitos bem definidos, não muito diferente das demais igrejas evangélicas brasileiras, é uma igreja abençoada e com um compromisso: o de anunciar o Reino de Deus e não placas de igrejas... Senti ali a presença de Deus... Senti-me em casa, exatamente como me sentia dentro da CCB.

Alegrei-me por ver que a coerência entre o que ensinam e o que praticam, o irmão cooperador disse que sentiria muita alegria em ter a mim congregando com eles, mas que não havia necessidade, afinal, já estou servindo a Deus na Igreja Batista e que Deus deveria ser louvado por isso.

Não estou profetizando nada, mas anotem aí: o surgimento CCB-Jandira poderá reconduzir a CCB-Brás às primícias desta centenária denominação ítalo-americana e fazer com que ela observe com mais atenção e reafirme seus 12 pontos de doutrina que são ofuscados por uma doutrina paralela extra-oficial e anti-bíblica. Pode ser que este ramo que já afirmou ser a própria Arvore (graça) se reduza novamente a sua insignificância como apenas mais um galho na Arvore da Vida (Jesus Cristo)... Um dia, talvez não tão distante, a CCB-Brás poderá deixar de figurar ao lado da Igreja dos Mórmons como uma denominação pseudo-cristã e deixe de ser chamada por algumas denominações de seita para ser chamada de irmã.

Se a CCB-Jandira tivesse um estudo bíblico sistemático ganharia mais alguns pontinhos com este blogueiro e muito mais linhas com certeza seriam escritas sobre isso... Mas esta obra ainda está no inicio, Deus no tempo certo pode dar esta guia.

Enfim, o surgimento da ainda pequena CCB-Jandira pode ser o socorro enviado por de Deus para despertar uma gigante adormecida e entorpecida, quem sabe lá na frente às duas denominações não darão as mãos novamente e saiam juntas anunciar o Reino e resgatar os feridos. E oremos para que as mudanças necessárias aconteçam e sejam realmente sinceras, e que não seja algo fingido, mera politicagem de quem não quer perder espaço e nem membros.

Josafá Agra

Mensagens: 119
Data de inscrição: 19/11/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum